DEUS ESCREVEU NA PEDRA A SUA LEI. E JESUS, ESCREVEU NA TERRA!

“E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte Sinai) as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus
(Êxodo 31:18)

“Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra“.
(João 8:6)

Temos um relato fantástico descrito na Bíblia no livro de João capítulo 8, uma mulher que foi apanhada no ato de adultério ”E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério”  (v.3), no Antigo Testamento da Bíblia, a lei mosaica determinava a pena de apedrejamento de quem fosse pego praticando o adultério, (Levítico 20:10). Os escribas e fariseus estavam tentando Jesus para o prenderem, contradizendo as Leis mosaicas, quando eles apresentam aquela mulher condenada a morte a bíblia diz que eles a colocam no meio de todos (v.3b) não bastava o condenamento, mas tinham que expor toda a sua vida perante todos, não era é fácil Cristo assistir toda aquela sena, pois ele nos amou a ponto de deixar a sua glória  pela humanidade em pecados (João 3:16), ele sabia que aquela sena não era comum pois havia um batalha espiritual por traz de tudo o que estava acontecendo, o diabo estava expondo perante Jesus a situação da humanidade, colocando-os sob a vergonha e humilhação. Mas o mais fantástico é que quando Jesus liberta aquela mulher a Bíblia diz no final do (v.9) …“ficou só Jesus e a mulher que estava no meio”  quando ele se coloca no meio isso quer dizer que Jesus se colocou por vergonha por nós, (Isaías 53:5) “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades”… 

(João 8:5) “E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?“, quando eles disseram isto era o mesmo que dizer: “Senhor, Deus escreveu na Lei que os tais sejam mortos por causa do pecado e o que tu dizes, oque tu escreveria?”
A partir daí a Bíblia diz no (v.6) “Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.”  Quando Jesus se inclina pela primeira vez e começa a escrever é como que se ele respondesse a indagação dos fariseus e os escribas (João 13:34) “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.O que Cristo estava querendo dizer é que o amor é superior a condenação, e que ninguém pode acusar e condenar sendo digno de mesma condenação  (Romanos 3:23) “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;”

(João 8:7) E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela”, quando Jesus diz que eles deveriam amar em vez de condenar ele estava dando a oportunidade de Graça a eles mas, a Bíblia diz que eles continuaram a insistir como que se não deram crédito para o que Cristo escrevia na terra, Cumpre-se então oque estava escrito pelo profeta (Jeremias 17:13) “O SENHOR, esperança de Israel, todos aqueles que te deixam serão envergonhados; os que se apartam de mim serão escritos sobre a terra; porque abandonam o SENHOR, a fonte das águas vivas”.  Jesus diz que se algum daqueles tiverem sem pecados poderiam atirar as pedras, mas eles então olhando para as pedras que estavam em suas mãos tiveram na memória Os Mandamentos que os apontava e os condenava também.  Então Jesus se levanta e traz a sentença que eles recaíram sobre àquela mulher, preferiram a condenação do que  amor, e no (v.8) Jesus torna e inclinar-se e escrever no chão, é como se ele escrevesse toda a profecia de Jeremias 17:13.

Jesus nos deixou um Novo Mandamento: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.”

Não condene “AME”

Não aponte “AME”

Não meça “AME”

Não julgue “AME”

Amém.

 


DEUS NOS DEIXA SÓS, AO BUSCAR A OVELHA PERDIDA?

ES

DEUS NOS DEIXA SÓS, AO BUSCAR A OVELHA PERDIDA?

O que acham vocês? Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará as noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu? (Mt 18:12)
Temos uma parábola onde Cristo relata o valor de seu amor pelas almas (seus filhos)
mas o v.12 diz que ele deixa o restante das ovelhas para buscar uma que esteja perdida, más não há perigo em deixar elas sozinhas?
Bom, o texto não diz que elas ficaram sozinhas, apenas diz que o Pastor foi em busca da perdida.
Quando o Pastor (Jesus) vai em busca de sua ovelha perdida ele deixa suas ovelhinhas aquecidas e seguras!
– Como assim o texto não afirma isto!
Será que a bíblia não diz! então leia isso:
“Mesmo quando vocês dormem entre as fogueiras do acampamento, as asas da minha pomba(Espírito Santo) estão recobertas de prata, as suas penas, de ouro reluzente”.
(Salmos 68:13)

Notaram sobre a palavra “acampamento”? Acampamento, isso lhe lembra alguma coisa?

Sim, que não somos daqui, deste reino, em Cristo somos do Reino de Deus:

Em Colossences 3:1 “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.

(I Pedro 2:11) Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma;

Não se preocupe se as vezes você acha que não tem todo o conforto que precisa e que Deus não esta do seu lado, estamos em momento transitório nesta vida e vivemos em acampamentos, moradas improvisadas, mas chegará o grande dia de entrarmos na nossa casa eterna, e o mínimo (se poderíamos assim dizer) que pode acontecer aqui na terra é de a Pombinha de Jesus  o seu ajudador estar bem do seu lado lhe protegendo.
“E eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro ajudador (Espírito Santo) para estar com vocês para sempre, até que eu volte”.
(João 14:16)
Deus abençoe.
Giovani cicheleiro, Pr.


SERVO, EU! É na…

SERVO, EU!
É natural ao coração humano a busca de conforto, status, poder e tudo quanto vem agregado a estas realidades. Tiago, João e sua mãe foram até Jesus solicitar tais privilégios na consumação do reino de Deus. Jesus não disse nem que sim, nem que não, mas aproveitou para reforçar que o reino de Deus é reino de servos e, portanto, os servos são os verdadeiros governantes do mundo. No reino de Deus, o privilégio e o ônus de governar não é das “pessoas importantes”, mas dos servos, até porque, governar é servir. No reino de Deus, a maneira de governar não é exercendo domínio sobre os governados, mas servindo os governados, até porque, governar é servir. Na lógica do reino de Deus, o oposto também é verdadeiro: servir é governar.

Para servir é necessário sair da zona de conforto, isto é, fazer o indesejado, dedicar tempo para tarefas pouco atraentes, assumir responsabilidades desprezadas pela maioria, fazer “o trabalho sujo”, enfim fazer o que ninguém gosta de fazer. Para servir é necessário vencer o orgulho, isto é, se dispor a ser tratado como escravo, ter os direitos negligenciados, ser desprestigiado, sofrer injustiças, conviver com quase nenhum reconhecimento, enfim, não se deixar diminuir pela maneira como as pessoas tratam os que consideram em posição inferior. Para servir é necessário abrir mão dos próprios interesses, isto é, pensar no outro em primeiro lugar, ocupar-se mais em dar do que em receber, calar primeiro, perdoar sempre, sempre pedir perdão, enfim, fazer o possível para que os outros sejam beneficiados ainda que às custas de prejuízos e danos pessoais.

Não é por menos que em qualquer sociedade humana existem mais clientes do que servos. Servir não é privilégio de muitos. Servir é para gente grande. Servir é para gente que conhece a si mesma, e está segura de sua identidade, a tal ponto que nada nem ninguém o diminui. Servir é para gente que conhece o coração das gentes, de tal maneira que nada nem ninguém causa decepção suficiente para que o serviço seja abandonado. Servir é para quem conhece o amor, de tal maneira que desconhece preço elevado demais para que possa continuar servindo. Servir é para quem conhece o fim a que se pode chegar servindo e amando, de tal maneira que não é motivado pelo reconhecimento, a gratidão ou a recompensa, mas pelo próprio privilégio de servir. Servir é para gente parecida com Jesus. Servir é para muito pouca gente.

A comunidade cristã – a Igreja, pode e deve ser vista, portanto, como uma escola de servos. Uma escola onde aprendemos que somos portadores do dom de Deus, dignidade que ninguém nos pode tirar. Uma escola onde aprendemos que, por mais desfigurado que esteja, todo ser humano carrega a imagem de Deus. Uma escola onde aprendemos a amar, e descobrimos que, se “não existe amor sem dor”, jamais se ama em vão. Uma escola onde aprendemos que “mais bem aventurada coisa é dar do que receber”.

Servir é mesmo privilégio de poucos. De minha parte, preferiria ser servido. Mas aí teria de abrir de mão do reino de Deus. Teria de abrir mão de desfrutar do melhor de mim mesmo. Teria de abrir mão de você. Definitivamente, me custaria muito caro. Nesse caso, continuo na escola.

Autor: Ed René Kivitz


A SÍNDROME DA FARTURA

 

A SÍNDROME DA FARTURA 
Contudo, outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades, perto do lugar “ONDE COMERAM PÃO”, havendo o Senhor dado graças.
Vendo, pois, a multidão que JESUS NÃO ESTAVA ALI nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus. (João 6:23-24)

Alguns dias atrás um grande amigo, PrGileade Fernandes fez o seguinte comentário em uma rede social “Deus não manda padaria do “céu” e sim o pão nosso de cada dia”, parei por uns instante a analisar friamente o evangelho contemporâneo onde existe uma síndrome de “ostentação gospel” de coisas, matéria em primeiro lugar,
– Deus! eu aprendi que te dou um e o Sr. me dá dois…
Nesta passagem bíblica acima os acometidos desta “SÍNDROME” voltaram no dia seguinte para vislumbrar o “PODER DE DEUS” onde a multiplicação dos pães sobejaram. Logo após o partir dos pães o povo se reuniu e disse: – Com certeza esse sim é nosso Rei, ele tem a fartura que precisamos, vocês viram o tanto que sobrou nos sestos, vamos proclama-lo Rei, (Você viu aquele milagre de cura na minha igreja, esse sim é meu Deus ele tem oque eu preciso! E a empresa que consegui depois que vim para a igreja! coisas, coisas e coisas).
No outro dia rapidamente lotaram os templos evangélicos e demais seitas, desculpe! voltaram para o mesmo lugar onde a Bília da ênfase: “Voltaram para o lugar onde Jesus Tinha Partido o Pão” achando que Jesus estaria ali.
Será Que você tem vindo atrás de Jesus somente por ele ter o que você precisa!
Sinto-me a vontade para sitar outro versículo da bíblia: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mateus 6:11)
Cuidado pra você Chegar lá e Jesus não estar mais…
Bom dia a todos.
Giovani Cicheleiro, Pr.


FRACA É A MINHA VONTADE

Fraca é minha vontade, frágil meu vigor
E da minha esperança, o que resta já se esvai;
Em Tua obra perfeita, apenas, confio
Para gentilmente me amparar e conduzir.

Falhei, mesmo tendo dado o melhor de mim,
Como antes, falhei e errei;
Em Tua paciência repousa a minha confiança
Para me amparar e ancorar à Tua palavra.

Quando meu coração se eleva.
Quão próximo da queda estou;
Agir, não ouso, não ouso pensar,
Em pequenas ou grandes coisas, de Ti preciso.

Tu és meu Salvador, minha força e esteio,
A Tua face, oh Senhor, venho buscar;
Mesmo dos fracos sendo o mais fraco,
A minha força é apenas a Tua graça.

Autor: Watchman Nee


Como o 1º Adão perdeu a Imagem e Semelhança de Deus, e onde o 2º Adão a recuperou

Adão expulso do Éden

Como o 1º Adão perdeu a Imagem e Semelhança de Deus, e onde o 2º Adão a recuperou

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa IMAGEM, conforme a nossa SEMELHANÇA;…” (Gênesis 1:26)

A passagem bíblica do texto acima exime o Criador (Deus) YAHWEH ELOHIM (hebraico), de criar  o homem com natureza decaída, muito pelo contrário, desde de criação de sua “obra prima” o homem foi criado natureza física (Semelhança de Deus), embora Deus em sua essência é espírito (João 4:24) e não há Nele matéria física,  somente com a encarnação de Cristo dá se então esta primeira natureza física, e a natureza divina (imagem de Deus)que é o estado racional perfeito em santidade e invariável, imaculado e sem desordem.

Dentro destes dois atributos (imagem e Semelhança) pelo qual o homem passou a ser criado demonstra verdadeiramente a real vontade do Criador (Deus), que é 0 relacionamento mútuo e incondicional com a sua criação (homem), vale apena destacar que desde o começo Deus criou o homem para o coroar com a sua intimidade (Salmo 25:14).

Tudo começa a sair da ordem natural moral humana quando entra a desobediência no coração da criação (homem), “tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela” (Gênesis 3:6), a partir deste momento todo o mundo (criaturas e criação, homem) vindouro passa a ser reescrito, o conhecimento do bem e do mal nada mais foi do que um engano para entrada da prática imoral do homem que passou a desvirtuar as obras do Criador, “E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível,” (Romanos 1:23)

Em Gênesis capítulo 5 fica registrado de maneira decadente o começo da natureza imoral do homem, deixando para traz os atributos primordiais da sua verdadeira essência: “Imagem e Semelhança de Deus”. o texto diz: “Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, À SEMELHANÇA DE DEUS O FEZ . Homem e mulher os criou; e os abençoou e chamou o seu nome Adão, no dia em que foram criados. (Gênesis 5:1-2). O começo do capítulo insiste na originalidade do homem em relação aos atributos do Criador, mas os versos que se seguem deixa claro que a vontade da carne e do pecado já o tinha domínio sobre a criatura (homem).E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho À “SUA” SEMELHANÇA, CONFORME À “SUA” IMAGEM,  e pôs-lhe o nome de Sete”. (Gênesis 5:3) Ai esta o grande erro do homem: Gerar filhos “à sua semelhança”, Deus nos criou para sermos seus filhos desde o princípio, com uma natureza perfeita e empírica, mas a mesma natureza de domínio que estava sobre o homem desde o princípio, ao contrário de sua implicação e propósitos, o fez ser transgredido pela mentira e ganância, passando então o pecado a todos os seus filhos Portanto, como por um homem (1º Adão) entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram”. (Romanos 5:12), que foram sendo gerados às suas próprias semelhanças, que agora era uma natureza decaída como as dos anjos expulsos da presença de Deus.

Portanto, o homem passa então a receber o castigo de sua transgressão sendo expulso do Éden (Gênesis  3:24), e torna-se uma criatura decaída totalmente dependente de uma remissão, que ultrapassa vários períodos na história em que o Criador (Deus) formula planos de redenção para a humanidade, dentre elas as Leis de Deus que tem o propósito de trazer novamente o raciocínio moral e espiritual ao homem, mas não tendo o poder de revogar a transgressão humana, que se deu somente pelo sacrifício de Seu Próprio Filho Jesus Cristo (YAHUSHUA – “O Salvador”). “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai”. (Gálatas 4:4-6).

YAHUSHUA ou Cristo, em um de seus ensinamentos quase despercebido pela situação se dar a noite tendo um fariseu como coadjuvante, Nicodemos esta presente em um de seus maiores ensinamentos a respeito a restauração espiritual do homem, o diálogo se dá, e Cristo ensina o fariseu a como voltar a as origens da “SEMELHANÇA DE DEUS” de Gênesis capítulo 1 verso 26, que só com uma semelhança de Deus, pode um homem entrar no Reino de Deus, que só voltando as origens do homem moral e criado santo, poderá ver a Deus.

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”.  (João 3:3), A única maneira de voltar ao Éden (presença de Deus) é nascendo de novo, e o diálogo se aprofunda quando Jesus diz: “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”. (João 3:6), O nascido de carne é a geração de Adão decaído sobre o pecado, natureza física imoral perdida e condenada, gerada a semelhança de Adão, mas o que é nascido do Espírito é gerado de Deus, no segundo Adão, moral e santo. Se nascermos de novo fruto do crer em Jesus e batizar-se (nascer da água) só assim poderemos voltar a Semelhança de Deus, Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente (Nascidos da carne); o último Adão em espírito vivificante (Nascido do Espírito). Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial. E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção. (1 Coríntios 15:45-50).

Nele, em Cristo recebemos a sua graça o poder de sermos filhos de Deus, e sermos restaurados a imagem daquele que nos criou:

“E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, SEGUNDO A IMAGEM DAQUELE QUE NOS CRIOU;
Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos”. 
(Colossenses 3:10-11)

Amém.

Giovani Cicheleiro, Pr.


logo-ipa.jpg


BANNER OFICIAL CABANAS 2

http://www.ministerioprojetoalma.com.br

Continue lendo

Quando o Machado é Pesado demais para um “Líder”

machado-un

Em 2 Reis 6 os discípulos da escola de profetas precisavam aumentar seus alojamentos e convidaram Eliseu para os liderar, mas antes disso acontecer vamos entender um pouco o que levou Elias a escolher Eliseu, para posteriormente se tornar líder da escola de profetas. Levando em consideração algo sobrenatural que aconteceu: O machado que afundou na água, flutuou.

Quando Elias escolhe seu sucessor em (1 Rs 19:19) ”Partiu, pois, Elias dali, e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele, e ele estava com a duodécima; e Elias passou por ele, e lançou a sua capa sobre ele”. 
ele sabia que estava próximo sua partida, e era normal em sua época professar a benção sobre seu sucessor ou sucessores (Gn 49) e a necessidade da continuação da escola de profetas era eminente, sendo assim o tipo de escolha para o seu sucessor deveria ser criteriosa e perfeita. Quando o “machado” é pesado demais para um líder este momento se torna um terror em sua mente; filhos, amigos, discípulos, e chegados são postos em sua frente, quem será que dará continuação em meu ministério? Os filhos sempre pesam pelos laços familiares, e as vezes a insegurança financeira pela falta de fé em Deus, fé que o levou ate aquele momento na liderança se afasta, tornando suas decisões mais racionais e sem a consulta de Deus.

Por isso vemos grandes igrejas e Ministérios que outrora eram gigantescos em obras e fé, vão a ruínas por uma decisão equivocada de seus líderes, Quando Elias escolhe seu sucessor ele sabe que não vai haver erros, ele nem cogita a possibilidade do fracasso de sua escolha sabe por que? Porque ele esta sendo dirigido totalmente por Deus e não pelos seus interesses pessoais e conclusões precipitadas de seus critérios de escolhas. Ora, Deus vai dirigir o verdadeiro líder em suas escolhas, não sabe ele o que é melhor?

Feita essa escolha Elias espera pelo seu grande dia, o grande dia da coroação de tudo que o líder efetuou, das suas decisões e as vezes decepções, mas que o fez um grande líder de grandes vitórias tomando para si as palavras do Apóstolo Paulo: ”Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé”.

E Eliseu? Abandonando tudo (1Rs)”Então deixou ele os bois, e correu após Elias;” foi atrás de seu chamado, largar tudo é para poucos, Largar tudo que o mundo tem para oferecer é para os escolhidos, largar seus sonhos, seu trabalho sua ”reputação”, é só para os que não envegonharão seus líderes pela escolha que fizeram.

Agora o senário muda e Eliseu se torna o percursor do deu ministério. A grande diferença do líder preparado para o chamado, ou pela continuação de uma obra específica se deve pelo fato de uma qualidade indispensável, que é a total certeza do seu ministério e chamado. Quando Eliseu fica sabendo que alguém teria de assumir a direção da escola de profetas ele se define instantaneamente.

continuação em: Quando o Machado é Pesado demais para um ”Discípulo”


igreja projeto alma

igreja projeto alma


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 937 outros seguidores