Arquivo do mês: fevereiro 2014

DEUS NOS DEIXA SÓS, AO BUSCAR A OVELHA PERDIDA?

ES

DEUS NOS DEIXA SÓS, AO BUSCAR A OVELHA PERDIDA?

O que acham vocês? Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará as noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu? (Mt 18:12)
Temos uma parábola onde Cristo relata o valor de seu amor pelas almas (seus filhos)
mas o v.12 diz que ele deixa o restante das ovelhas para buscar uma que esteja perdida, más não há perigo em deixar elas sozinhas?
Bom, o texto não diz que elas ficaram sozinhas, apenas diz que o Pastor foi em busca da perdida.
Quando o Pastor (Jesus) vai em busca de sua ovelha perdida ele deixa suas ovelhinhas aquecidas e seguras!
– Como assim o texto não afirma isto!
Será que a bíblia não diz! então leia isso:
“Mesmo quando vocês dormem entre as fogueiras do acampamento, as asas da minha pomba(Espírito Santo) estão recobertas de prata, as suas penas, de ouro reluzente”.
(Salmos 68:13)

Notaram sobre a palavra “acampamento”? Acampamento, isso lhe lembra alguma coisa?

Sim, que não somos daqui, deste reino, em Cristo somos do Reino de Deus:

Em Colossences 3:1 “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.

(I Pedro 2:11) Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma;

Não se preocupe se as vezes você acha que não tem todo o conforto que precisa e que Deus não esta do seu lado, estamos em momento transitório nesta vida e vivemos em acampamentos, moradas improvisadas, mas chegará o grande dia de entrarmos na nossa casa eterna, e o mínimo (se poderíamos assim dizer) que pode acontecer aqui na terra é de a Pombinha de Jesus  o seu ajudador estar bem do seu lado lhe protegendo.
“E eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro ajudador (Espírito Santo) para estar com vocês para sempre, até que eu volte”.
(João 14:16)
Deus abençoe.
Giovani cicheleiro, Pr.


SERVO, EU! É na…

SERVO, EU!
É natural ao coração humano a busca de conforto, status, poder e tudo quanto vem agregado a estas realidades. Tiago, João e sua mãe foram até Jesus solicitar tais privilégios na consumação do reino de Deus. Jesus não disse nem que sim, nem que não, mas aproveitou para reforçar que o reino de Deus é reino de servos e, portanto, os servos são os verdadeiros governantes do mundo. No reino de Deus, o privilégio e o ônus de governar não é das “pessoas importantes”, mas dos servos, até porque, governar é servir. No reino de Deus, a maneira de governar não é exercendo domínio sobre os governados, mas servindo os governados, até porque, governar é servir. Na lógica do reino de Deus, o oposto também é verdadeiro: servir é governar.

Para servir é necessário sair da zona de conforto, isto é, fazer o indesejado, dedicar tempo para tarefas pouco atraentes, assumir responsabilidades desprezadas pela maioria, fazer “o trabalho sujo”, enfim fazer o que ninguém gosta de fazer. Para servir é necessário vencer o orgulho, isto é, se dispor a ser tratado como escravo, ter os direitos negligenciados, ser desprestigiado, sofrer injustiças, conviver com quase nenhum reconhecimento, enfim, não se deixar diminuir pela maneira como as pessoas tratam os que consideram em posição inferior. Para servir é necessário abrir mão dos próprios interesses, isto é, pensar no outro em primeiro lugar, ocupar-se mais em dar do que em receber, calar primeiro, perdoar sempre, sempre pedir perdão, enfim, fazer o possível para que os outros sejam beneficiados ainda que às custas de prejuízos e danos pessoais.

Não é por menos que em qualquer sociedade humana existem mais clientes do que servos. Servir não é privilégio de muitos. Servir é para gente grande. Servir é para gente que conhece a si mesma, e está segura de sua identidade, a tal ponto que nada nem ninguém o diminui. Servir é para gente que conhece o coração das gentes, de tal maneira que nada nem ninguém causa decepção suficiente para que o serviço seja abandonado. Servir é para quem conhece o amor, de tal maneira que desconhece preço elevado demais para que possa continuar servindo. Servir é para quem conhece o fim a que se pode chegar servindo e amando, de tal maneira que não é motivado pelo reconhecimento, a gratidão ou a recompensa, mas pelo próprio privilégio de servir. Servir é para gente parecida com Jesus. Servir é para muito pouca gente.

A comunidade cristã – a Igreja, pode e deve ser vista, portanto, como uma escola de servos. Uma escola onde aprendemos que somos portadores do dom de Deus, dignidade que ninguém nos pode tirar. Uma escola onde aprendemos que, por mais desfigurado que esteja, todo ser humano carrega a imagem de Deus. Uma escola onde aprendemos a amar, e descobrimos que, se “não existe amor sem dor”, jamais se ama em vão. Uma escola onde aprendemos que “mais bem aventurada coisa é dar do que receber”.

Servir é mesmo privilégio de poucos. De minha parte, preferiria ser servido. Mas aí teria de abrir de mão do reino de Deus. Teria de abrir mão de desfrutar do melhor de mim mesmo. Teria de abrir mão de você. Definitivamente, me custaria muito caro. Nesse caso, continuo na escola.

Autor: Ed René Kivitz


A SÍNDROME DA FARTURA

 

A SÍNDROME DA FARTURA 
Contudo, outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades, perto do lugar “ONDE COMERAM PÃO”, havendo o Senhor dado graças.
Vendo, pois, a multidão que JESUS NÃO ESTAVA ALI nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus. (João 6:23-24)

Alguns dias atrás um grande amigo, PrGileade Fernandes fez o seguinte comentário em uma rede social “Deus não manda padaria do “céu” e sim o pão nosso de cada dia”, parei por uns instante a analisar friamente o evangelho contemporâneo onde existe uma síndrome de “ostentação gospel” de coisas, matéria em primeiro lugar,
– Deus! eu aprendi que te dou um e o Sr. me dá dois…
Nesta passagem bíblica acima os acometidos desta “SÍNDROME” voltaram no dia seguinte para vislumbrar o “PODER DE DEUS” onde a multiplicação dos pães sobejaram. Logo após o partir dos pães o povo se reuniu e disse: – Com certeza esse sim é nosso Rei, ele tem a fartura que precisamos, vocês viram o tanto que sobrou nos sestos, vamos proclama-lo Rei, (Você viu aquele milagre de cura na minha igreja, esse sim é meu Deus ele tem oque eu preciso! E a empresa que consegui depois que vim para a igreja! coisas, coisas e coisas).
No outro dia rapidamente lotaram os templos evangélicos e demais seitas, desculpe! voltaram para o mesmo lugar onde a Bília da ênfase: “Voltaram para o lugar onde Jesus Tinha Partido o Pão” achando que Jesus estaria ali.
Será Que você tem vindo atrás de Jesus somente por ele ter o que você precisa!
Sinto-me a vontade para sitar outro versículo da bíblia: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mateus 6:11)
Cuidado pra você Chegar lá e Jesus não estar mais…
Bom dia a todos.
Giovani Cicheleiro, Pr.