Arquivo da tag: plenitude dos tempos

Como o 1º Adão perdeu a Imagem e Semelhança de Deus, e onde o 2º Adão a recuperou

Adão expulso do Éden

Como o 1º Adão perdeu a Imagem e Semelhança de Deus, e onde o 2º Adão a recuperou

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa IMAGEM, conforme a nossa SEMELHANÇA;…” (Gênesis 1:26)

A passagem bíblica do texto acima exime o Criador (Deus) YAHWEH ELOHIM (hebraico), de criar  o homem com natureza decaída, muito pelo contrário, desde de criação de sua “obra prima” o homem foi criado natureza física (Semelhança de Deus), embora Deus em sua essência é espírito (João 4:24) e não há Nele matéria física,  somente com a encarnação de Cristo dá se então esta primeira natureza física, e a natureza divina (imagem de Deus)que é o estado racional perfeito em santidade e invariável, imaculado e sem desordem.

Dentro destes dois atributos (imagem e Semelhança) pelo qual o homem passou a ser criado demonstra verdadeiramente a real vontade do Criador (Deus), que é 0 relacionamento mútuo e incondicional com a sua criação (homem), vale apena destacar que desde o começo Deus criou o homem para o coroar com a sua intimidade (Salmo 25:14).

Tudo começa a sair da ordem natural moral humana quando entra a desobediência no coração da criação (homem), “tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela” (Gênesis 3:6), a partir deste momento todo o mundo (criaturas e criação, homem) vindouro passa a ser reescrito, o conhecimento do bem e do mal nada mais foi do que um engano para entrada da prática imoral do homem que passou a desvirtuar as obras do Criador, “E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível,” (Romanos 1:23)

Em Gênesis capítulo 5 fica registrado de maneira decadente o começo da natureza imoral do homem, deixando para traz os atributos primordiais da sua verdadeira essência: “Imagem e Semelhança de Deus”. o texto diz: “Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, À SEMELHANÇA DE DEUS O FEZ . Homem e mulher os criou; e os abençoou e chamou o seu nome Adão, no dia em que foram criados. (Gênesis 5:1-2). O começo do capítulo insiste na originalidade do homem em relação aos atributos do Criador, mas os versos que se seguem deixa claro que a vontade da carne e do pecado já o tinha domínio sobre a criatura (homem).E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho À “SUA” SEMELHANÇA, CONFORME À “SUA” IMAGEM,  e pôs-lhe o nome de Sete”. (Gênesis 5:3) Ai esta o grande erro do homem: Gerar filhos “à sua semelhança”, Deus nos criou para sermos seus filhos desde o princípio, com uma natureza perfeita e empírica, mas a mesma natureza de domínio que estava sobre o homem desde o princípio, ao contrário de sua implicação e propósitos, o fez ser transgredido pela mentira e ganância, passando então o pecado a todos os seus filhos Portanto, como por um homem (1º Adão) entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram”. (Romanos 5:12), que foram sendo gerados às suas próprias semelhanças, que agora era uma natureza decaída como as dos anjos expulsos da presença de Deus.

Portanto, o homem passa então a receber o castigo de sua transgressão sendo expulso do Éden (Gênesis  3:24), e torna-se uma criatura decaída totalmente dependente de uma remissão, que ultrapassa vários períodos na história em que o Criador (Deus) formula planos de redenção para a humanidade, dentre elas as Leis de Deus que tem o propósito de trazer novamente o raciocínio moral e espiritual ao homem, mas não tendo o poder de revogar a transgressão humana, que se deu somente pelo sacrifício de Seu Próprio Filho Jesus Cristo (YAHUSHUA – “O Salvador”). “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai”. (Gálatas 4:4-6).

YAHUSHUA ou Cristo, em um de seus ensinamentos quase despercebido pela situação se dar a noite tendo um fariseu como coadjuvante, Nicodemos esta presente em um de seus maiores ensinamentos a respeito a restauração espiritual do homem, o diálogo se dá, e Cristo ensina o fariseu a como voltar a as origens da “SEMELHANÇA DE DEUS” de Gênesis capítulo 1 verso 26, que só com uma semelhança de Deus, pode um homem entrar no Reino de Deus, que só voltando as origens do homem moral e criado santo, poderá ver a Deus.

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”.  (João 3:3), A única maneira de voltar ao Éden (presença de Deus) é nascendo de novo, e o diálogo se aprofunda quando Jesus diz: “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”. (João 3:6), O nascido de carne é a geração de Adão decaído sobre o pecado, natureza física imoral perdida e condenada, gerada a semelhança de Adão, mas o que é nascido do Espírito é gerado de Deus, no segundo Adão, moral e santo. Se nascermos de novo fruto do crer em Jesus e batizar-se (nascer da água) só assim poderemos voltar a Semelhança de Deus, Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente (Nascidos da carne); o último Adão em espírito vivificante (Nascido do Espírito). Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial. E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção. (1 Coríntios 15:45-50).

Nele, em Cristo recebemos a sua graça o poder de sermos filhos de Deus, e sermos restaurados a imagem daquele que nos criou:

“E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, SEGUNDO A IMAGEM DAQUELE QUE NOS CRIOU;
Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos”. 
(Colossenses 3:10-11)

Amém.

Giovani Cicheleiro, Pr.

Anúncios